Resenha: Tão Mais Bonita - Cara Hoffman

   Olá pessoas do mundo inteiro!
   Tenho certeza absoluta que algum de vocês já leu algum livro e no final ficou com aquela sensação de conflito interno, sem saber se gosta ou se não gosta. Foi isso o que aconteceu com Tão Mais Bonita da Cara Hoffman
   Segue a sinopse:
   "Haeden é uma pequena cidade no norte do estado de Nova York que tem como principal empregadora uma fábrica de laticínios. Seus habitantes são pessoas que fincaram raízes por lá e nunca mais foram embora - pessoas que não gostam muito de forasteiros. É o caso da família Piper, que fugiu da confusão da cidade grande com sua precoce e encantadora filha, Alice, procurando um novo começo, e de Wendy White, uma mulher doce e caseira, que desapareceu misteriosamente.



   Recém-chegada a Haeden, a repórter Stacy Flynn decide reconstituir a vida de Wendy, que fora assassinada, organizando todos os fragmentos que encontra na tentativa de solucionar o caso. Ela escreve um apaixonado artigo para o jornal local, que desperta em Alice o desejo de também investigar o crime. Enquanto Alice e Flynn, separadamente, observam as pessoas ao redor em busca do assassino, o destino de Alice é entrelaçado para sempre ao de Wendy, quando um segundo crime abala as estruturas da cidade."    

   O livro conta a história de, basicamente, quatro personagens: Alice, Gene e Claire (os Piper), e Stacy Flynn. Claire e Gene são médicos que para poder criar sua filha recém nascida longe da confusão da grande Nova York se mudam para a pequena cidade de Headen em busca de uma vida tranquila e pacífica. Do outro lado temos Stacy, uma jornalista que também sai da vida urbana para a cidadezinha em busca de sua "Grande Reportagem" investigando as fábricas de laticínios do local. 
   A autora faz uma mesclagem de passado com futuro que me deixou confusa. Mesmo estando explícito em cada começo de capítulo o personagem em questão e o ano que se passava. Você vai e volta no tempo do nada e... Sei lá. Mas, isso também nos permite ter uma visão mais detalhada sobre a infância de Alice até sua adolescência. A narrativa é cheia de mistério em torno do assasinato da jovem Wendy White. O crime em uma cidade pequena como Headen abalou toda a cidade e deixou a todos preocupados. Stacy está realmente determinada a descobrir quem foi o assasino quando um outro crime acontece envolvendo Alice. "Mais um mistério?". Sim, meu caro leitor, mais um. Tudo bem que um suspense é legal, mas qualquer coisa em excesso é ruim. O excesso de suspense muitas vezes faz com que o leitor se sinta burro, e foi isso o que aconteceu comigo.
"O que sabemos sobre Alice Piper? Técnicamente, ela é um gênio. O QI é de 158. Obteve 2.300 pontos no Exame de Aptidão Escolar. É atleta. Agora, pense no que isso significa. Pense no que isso significa para uma garota em Headen." 
   O livro é formado por pontos de vistas de vários personagens. Alguns, de certa forma, desnecessários. A escrita da autora não fluiu da melhor forma e demorei bastante tempo para concluir essa leitura. Além disso, alguns capítulos são narrados em terceira pessoa, outros em primeira e isso deixou a narrativa meio estranha. Que se tornou maçante e arrastada em algumas partes. Alice é uma garota brilhante e inteligente. Atlética, tem seus ideais, personalidade forte e nem um pouco fútil. Seus pais são dinâmicos e amorosos, lhe dão toda a liberdade que ela pode desejar. Stacy é uma jornalista independente e determinada. Embora tenha gostado mais das partes que ela narrava, não me identifiquei com nenhum personagem. (E olha que o que esse livro mais tem é personagem, hein). 



   A autora me surpreendeu muito no final com algo que eu nunca imaginava vindo do personagem em questão. E fez isso sem fazê-lo parecer bipolar. Outro ponto marcante da narrativa é sobre a violência contra a mulher, que é um tema muito abordado no livro e importante para nossa sociedade. A autora escreve de forma inteligente sobre isso estabelecendo ideais aos seus personagens que são admiráveis. O final deixou algumas pontas soltas e eu, particularmente, detesto isso. Mas também dá um background de realidade ao livro, porque, na vida real, são mesmo todos os casos que são solucionados? 
   A Intrínseca de parabéns como sempre na edição. Gosto dessa capa, mas não do título (que não tem nada a ver com a história). Um outro ponto considerável é a diagramação das provas, que nos faz ter uma noção mais ampla dos crimes. 
"Estão procurando uma mulher de cabelo louro, castanho ou preto. Uma mulher de olhos azuis, talvez castanhos ou verdes. Ela pode ter 1,70 m ou 1,75m. O cabelo também pode ser ruivo, ou de uma cor artificial, como rosa ou branco. Talvez pese entre 50 e 64 quilos e tenha uma cicatriz ou machucado no pescoço. [...] Como bem sabemos, para uma mulher que se encaixe nessa descrição, é muito fácil simplesmente desaparecer."  
   Isso é tudo, pessoal. Resenha meio grande essa, né? Haha. Vou deixar com duas estrelinhas porque, na minha opinião, é isso que esse livro merece. As últimas cem páginas do livro me prenderam bastante. Porém, como o livro tem outras dezenas de páginas, tenho que considerar. A autora encheu muita "linguiça" sem necessidade. Porque com esse enredo ela poderia ter feito um baita livro. O que não foi o caso.


Até mais!


8 comentários:

  1. Oi Carla, eu estava bem interessada nesse livro a um tempo por causa da sinopse mesmo mas depois de um tempo o interesse diminuiu e depois da sua resenha perdi mais um pouco do interesse, pois sempre me "perco" um pouco quando o autor resolve ficar indo e voltado do passado e acabo ficando irritada com o livro kkk mas a resenha está muito boa, adorei, parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse foi mesmo um ponto que me irritou um pouco. A autora me deixou mais perdida que cego em tiroteio haha.
      Beijos!

      Excluir
  2. Achei essa questão do tempo um pouco confusa, mais como disse também e algo bom, pois conhece melhor a historia. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, se você gostar desse tipo de dinâmica no livro, foi uma ótima idéia.
      Beijos!

      Excluir
  3. Já li esse livro e... Eita livrinho confuso esse. Me perdia toda hora e a escrita dessa autora não flui nada bem.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, confesso que em certas horas ficava com preguiça só de olhar pro livro. Mas o final até que foi legal.
      Beijos!

      Excluir
  4. Essa capa é bem enigmática, né? E foi por ela que comprei esse livro e ele tá parado aqui na estante. Sou muito curiosa então vou ler mesmo assim pra saber se concordo com você ou não haha
    Resenha super completinha, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Catarina. É isso aí, haha, leia assim que puder pra ver se concorda comigo ou não.
      Beijos!

      Excluir