Primeiras Impressões: Fugitivos - Carlos Barros

   Olá pessoas do mundo inteiro! 
 Eu mais alguns blogueiros estamos participando da Maratona de Divulgação do livro Fugitivos, do autor nacional Carlos Barros. Recebi os primeiros sete capitulos para fazer uma resenha de "primeiras impressões", afinal, a primeira impressão é a que fica, né? Segue a sinopse:
    "De onde vem a amizade? O que é necessário para se ter uma vida melhor? Caio, um carioca de 15 anos, perdeu os pais em uma tragédia e foi morar com a avó em Belo Horizonte. Traumatizado pelo incidente que vitimou sua família, ele não tem mais desejo de retomar sua vida. Até que conhece Fernanda, uma menina de 15 anos, que protege o irmão Jonas, de 11 anos, do temperamento violento do pai. Ao mesmo tempo, Caio fica amigo de Gabriel, um rapaz de 17 anos, e Bianca, a irmã de 5 anos. Os dois perderam a mãe, por ela ser viciada e ter sofrido uma overdose, e o pai está preso. Ficam sob a tutela da Justiça e do irmão mais velho, de 20 anos, que apoia o pai em planos escusos para melhorarem de vida. Em Fugitivos, acompanhamos o amor nascer entre Caio e Fernanda, sentimento que será o catalisador de uma briga que colocará em risco a segurança dos dois, e a força da amizade que surge entre os cinco jovens, de forma tão intensa que o drama de cada um deixa de ser individual e passa a ser de todos. No momento em que suas histórias se misturam, eles precisam fugir para salvarem suas vidas. Nessa corrida emocionante, que atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Alagoas e Pernambuco, mais de dois mil quilômetros, iremos descobrir seus sonhos, seus medos, suas tristezas e suas alegrias, tudo envolto por muito suspense, perigo, romance e reviravoltas surpreendentes."

  Fugitivos é narrado em terceira pessoa e começa com Caio chegando em Belo Horizonte, na casa de sua avó. De início, o autor não deixa explicito os motivos da mudança de vida de Caio. O que sabemos é que seus pais estão mortos e agora ele terá que morar com a  avó. Caio é aquele tipo de garoto que... Bem, a minha vontade era de abraçar ele e não soltar mais haha. Ele parece ser um garoto gentil e companheiro, e que só precisa de carinho e mais nada. A morte de seus pais o transformou. Caio está perdido em seu luto e se retraí ainda mais dentro de si mesmo. A única coisa que ele quer é chorar e mais nada. Caio tem crises de pânico quando se lembra do que aconteceu e não sentiu mais felicidade alguma desde aquela noite fatídica.
   Mas isso muda quando Caio conhece Jonas e Fernanda. Jonas é um garoto de 11 anos muito engraçado e um tanto quanto tagarela. Na verdade, ele é muito tagarela. Tão tagarela que ás vezes eu tinha vontade de pegar no pescoço dele haha. E eu acho muito legal a forma como Jonas consegue ser ele mesmo e não demonstrar o quanto sofre com seu pai agressivo. O pai de Jonas e Fernanda é um homem antiquado e rude. Aparentemente ele não nutre sentimento nenhum por seus filhos ou por sua esposa. O autor escreve tão bem que algumas cenas do livro me deixaram angustiada e dividida. Uma parte de mim queria parar de ler pela quantidade de violência narrada, e a outra queria continuar lendo para saber o que acontece. 
   Já a Fernanda... Posso dizer que tenho uma relação de amor e ódio com ela. Um ponto - ou o único ponto - ruim do livro, é que achei a Fernanda um pouco atirada demais. Veja bem, na primeira vez em que ela vê Caio já fica apaixonada. Apaixonada de verdade. É uma paixão daquelas de ficar pensando nele toda hora, ela já abraça ele e até chora em pensar na possibilidade do Caio não gostar dela. Bem, não sei se o problema está em mim e todas as garotas de 15 anos agem dessa maneira em um caso de "amor a primeira vista", mas isso não desceu para mim. Sei lá, achei meio piegas da parte do autor exasperar tanto esse sentimento. Foi rápido demais. Tudo bem que ela explica que Teresa, a avó de Caio já havia falando muito sobre ele antes, e Fernanda já tinha visto várias fotos suas. Mas mesmo assim... Porém, por outro lado também a admiro muito. Achei lindo a forma como Fernanda defende seu irmão a todo custo. É lindo a forma como ela é forte pelos dois e muito corajosa. Tão corajosa a ponto de enfrentar seu pai para proteger Jonas. 


"Suas lágrimas pareciam ter acabado enquanto estava consciente, mas no mundo dos sonhos ela ainda tinha muitas de reserva" (Pág.143)
   Outra história que se choca a desses quatro é a de Gabriel. Gabriel é um jovem de 17 anos muito maduro para sua idade. Sua mãe morreu, seu pai está preso, e seu irmão é um vagabundo. Gabriel tem de cuidar sozinho de sua irmã Bianca de cinco anos - que é um amor de criança -. Ele trabalha na banca de jornais da avó de Caio, e tira parte do sustento da casa daí. A forma do autor narrar o livro nos dá uma visão de cada um dos personagens, e isso é muito bom pois facilita muito a leitura. Podemos ver as lembranças de cada um deles e isso nos faz entrar fundo na narrativa.
   Conforme vamos lendo o livro podemos entender melhor o passado de cada um dos protagonistas. A escrita do autor é incrível e nos prende mais e mais a cada parágrafo. E o fato da narrativa se passar em território brasileiro torna tudo ainda melhor. Se o que você procura é emoção, esse é o livro. O livro faz jus a essa capa maravilhosa e está cheio de reviravoltas. Outra coisa que posso afirmar com certeza, é que preciso desse livro para ontem. Quando eu finalmente entendi parte da tragetória de Caio, a prévia acabou. 
#Choremos


"Chega uma hora, onde nada mais resta a não ser a esperança de acreditar em Deus" (Pág. 148)

Isso é tudo, pessoal. Fugitivos será lançado no dia 25 de setembro e se você é de BH, não pode ficar fora dessa né?



Até mais!

Papo de Estante: Qual seu gênero literário?

   Olá pessoas do mundo inteiro!
   Que o mercado dos livros cresce a cada dia não é novidade. E com isso, o número de leitores e escritores tem crescido muito, o que é ótimo. Outra coisa que também está crescendo a cada dia com isso são os gêneros literários. Teoricamente, e de acordo com o que a gente aprende na escola, os gêneros literários são três: épicodramático e lírico. Porém, a todo momento surgem novos "sub-gêneros", que são os, digamos assim, filhos dos três grandes gêneros. Entenderam? Ótimo. 
   Os sub-gêneros são classificados de acordo com a temática do livro, faixa etária, tempo e muitos outros etceteras. E eles são muitos mesmo, então, aqui nesse post não vou falar sobre todos, só alguns, os mais populares. Certo? Certo.

  • New Adult (NA)
      

   Creio eu, que esse é o gênero literário que mais tem crescido ultimamente. O New Adult são os livros voltados para os "novos adultos". Os protagonistas são mais maduros, dos dezoito aos vinte e poucos anos e a temática é voltada para assuntos como sexo, primeiro emprego, amadurecimento, faculdade e etc.

  • Young Adult (YA)
   

   Esse é o gênero que fica entre o infantojuvenil e o new adult. Voltado para pessoas de 14 a 20 e uns anos. Além dos livros com personagens adolescentes também são YA livros em que os protagonistas são adultos mas se comportam como adolescentes.


  • Infanto Juvenil
      

      Esse é um gênero literário que eu gosto bastante. É dedicado principalmente às crianças e pré-adolescentes. Os livros infanto juvenis precisam ser de fácil entendimento e interessantes o bastante para que a criança/pré-adolescente seja estimulada a ler.


  • Drama
      

   Os livros dramáticos são aqueles em que não há nada cômico. Quando se trata de um assunto "sério", quando existe um conflito e os acontecimentos narrados podem muito bem ocorrer na vida real. Quando o fato principal do livro causa dano, dor e sofrimento ao protagonista. 


  • Fantasia
      

  Esse é um gênero bem simples de diferenciar. Os acontecimentos nos livros desse gênero são aqueles que muito provavelmente nunca aconteceriam na vida real. Coisas do tipo dragões, anjos, vampiros e lobisomens.

  • Romance
      

   Romance também é um dos meus favoritos. O romance retrata sempre uma história de amor. O sentimento é eleito como o tema principal. Esse amor pode ser retratado de várias formas como a família, amizade, namoro, casamento e etc. (Lembrando de que estamos falando do sub-gênero, o "romance romântico").

  • Comédia
      

   O gênero literário comédia é algo bastante relativo, pois o que é engraçado para um pode não ser para outro. Porém, existem livros que são voltados principalmente para fazer o leitor rir, com cenas cômicas e etc.

  • Romance Policial
      

   O Romance policial é um gênero muito popular que é caracterizado pela presença do crime, da investigação e da revelação do malfeitor. Neste tipo de gênero literário, o foco remete para o processo de elucidação do mistério, empreitada geralmente a cargo de um detetive, seja ele profissional ou amador. A essência da narrativa policial é a busca pela identidade desconhecida.


  • Terror
      

  Terror ou horror é um gênero que eu nunca li. Sou muito medrosa mesmo e esse gênero tem a intenção ou capacidade de aterrorizar ou assustar os seus leitores, através da inclusão de sentimentos de horror e terror. O terror pode ser tanto sobrenatural, como não-sobrenatural. 


  • Ficção Científica
      

  Ficção científica é o gênero que define qualquer fantasia literária que inclua o fator ciência como componente essencial.

  • Distopia
      

  De acordo com o dicionário, distopia é lugar ou estado imaginário em que se vive em condições de extrema opressão, desespero ou privação. Distopia é o contrário uma utopia. As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, e por opressivo controle da sociedade. Geralmente o tempo é futurístico e há um ou mais protagonistas que são contra as regras impostas pelo governo, organização "líder" ou sociedade.

  • Erótico
      

  A literatura erótica é um gênero literário que eu nunca li e nem pretendo, utiliza o erotismo em forma escrita, para despertar ou instruir o leitor sobre as práticas sexuais. Pode também ser chamada de literatura pornográfica, se as cenas sexuais são realmente muito explícitas. Em sua maior parte utiliza-se do gênero literário romance de uma forma mais madura e picante. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • Sick-lit
      

   Sick-lit significa literatura-enferma, e é o termo usado para classificar os livros que tem em sua narrativa personagens com doenças terminais, depressão ou tendências suicidas.

  • Chick-lit
          

   Chick lit é um gênero que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa. Geralmente são classificados como "livro de mulherzinha", a literatura chick-lit apresenta enredo ágil, de fácil digestão, engraçado e cativante, sem nenhuma pretensão a não ser entretenimento.

   Então é isso, pessoal. Claro que não listei todos os gêneros literários, se o tivesse feito teria postagem até o ano que vem haha. Os meus preferidos aí são sick-lit, romance, drama, infanto-juvenil, YA, NA, e muuuuitos outros. Mas também tenho muita vontade de ler uma distopia, pois nunca li uma que não seja A Seleção da Kiera Cass, e cá entre nós, acho que A Seleção não é lá uma distopia daquelas, né?

   Mas e aí? Quais seus gêneros literários favoritos?

Até mais!

Tag: No País das Maravilhas

Olá pessoas do mundo inteiro!



A Karine, do blog Lendo no Inverno me marcou nessa tag super divertida, Alice no País das Maravilhas. A tag consiste em seis tópicos baseados nos personagens do incrível e super famoso livro do Lewis Carrol.


  • Alice - Um livro que te fez cair em um mundo completamente diferente.
A Seleção - Kiera Cass

Se eu já houvesse lido alguma distopia seria mais fácil responder a esse tópico. A única que já li foi A Seleção, mas acho que esse livro não é bem uma distopia daquelas. Porém, eu gosto muito mesmo do ambiente em que esse livro se passa, todo esse clima "palaciano" me deixa eufórica. Acho que gostaria de viver em Illéa. (A não ser pelas castas, claro).





  • Chapeleiro Maluco - Um livro com protagonista maluco
O Lado Bom da Vida - Matthew Quick

Gente, acho que não existe personagem melhor para esse tópico, né? O Pat e a Tiff são, com toda certeza, os melhores personagens com problemas mentais de todos. (Resenha aqui).








  • Coelho Branco - Um livro que atrasou suas leituras
O Herói Perdido - Rick Riordan

Esse livro atrasou minhas leituras de uma forma boa. Estava super ansiosa para  que chegasse e quando ele - finalmente - chegou parei tudo o que estava fazendo para lê-lo. Valeu super a pena, encontrei personagens incríveis!







  • Gato Risonho - Um livro que te fez rir

Como Falar Com Um Viúvo - Jonathan Tropper

Esse livro tem uma pegada mais tragi-comédia, Doug é um personagem hilário e os pequenos detalhes - como os coelhos no quintal - são super engraçados. (Resenha aqui).







  • Lagarta Azul - Um livro que te fez refletir 
A Menina Feita de Espinhos - Fabiane Ribeiro

Esse é um daqueles livros em que nós aprendemos muitas coisas. Como já disse aqui no blog, ele me fez refletir muito sobre as minhas ações como cidadã e sobre como tratar o próximo. Nele podemos tirar lições de como aceitar as diferenças dos outros, amar o seu interior e seu exterior e ver que há beleza em tudo. (Resenha aqui).






  • Rainha de Copas - Um livro cujo o autor adora matar os personagens
O Último Olimpiano - Rick Riordan

Preciso avisar que vou citar o Rick Riordan sempre que possível? Haha. Existem sim autores que "matam" mais personagens, como Nicholas Sparks. Porém, as mortes em O Último Olimpiano foram as que mais me deixaram para baixo. :'(






   Isso é tudo, pessoal! Espero que tenham gostado da tag. Não vou marcar ninguém, mas você que tem blog, canal ou ig no Instagram, sinta-se a vontade para responder e não se esqueça de me mostrar, ok? 

Até mais!